Em dezembro de 2015, anunciamos nossa parceria com a Fundação Victor Civita, que transferiu as publicações Nova Escola e Gestão Escolar para a Fundação Lemann. As duas organizações têm o mesmo desejo: dar um novo impulso para as publicações, garantindo que elas cresçam cada vez mais e continuem contribuindo com professores e gestores escolares de todo o Brasil.

Nós, da Fundação Lemann, compartilhamos o mesmo sonho que a Fundação Victor Civita: melhorar a qualidade da educação no Brasil. Acreditamos em uma educação com excelência e equidade em que todos os alunos têm alta qualidade na aprendizagem. E sabemos que os educadores que fazem a educação acontecer todos os dias. É por isso que, com esta parceria, queremos expandir o alcance de Nova Escola e Gestão Escolar. Assim, será possível acelerar e ampliar o diálogo com cada um dos professores, professoras, gestores e gestoras do Brasil.

Patrimônios da educação brasileira

Juntas, a Fundação Victor Civita e a Nova Escola têm uma enorme lista de serviços prestados à educação e ao jornalismo. São patrimônios do Brasil. Os professores e professoras sabem, há 30 anos, que têm grandes amigos nesta jornada. Essa amizade continua, e se fortalece.

Em 2015, a Fundação Victor Civita celebrou três décadas de atuação e a 18ª edição do Prêmio Educador Nota 10, realizado em parceria com a Fundação Roberto Marinho, Rede Globo e Editora Abril. A Fundação Victor Civita seguirá realizando o Prêmio e apoiando iniciativas que valorizem e apoiem os educadores brasileiros.

Nova fase e parceria

Nós trabalhamos há quase 15 anos com iniciativas que melhoram a educação pública no Brasil. Muitas delas são realizadas lado a lado com os educadores, como a pesquisa Conselho de Classe. O conhecimento acumulado dentro da Fundação Lemann reforçou a importância de ter ferramentas que dialogam com os professores e gestores escolares, promovendo ainda mais debate entre eles.

Ao apoiar e incentivar Nova Escola e Gestão Escolar, a Fundação Lemann se compromete a mantê-las como publicações sem fins lucrativos e a consolidar e ampliar o respeito e a admiração que as marcas conquistaram. A independência editorial em relação a financiadores, anunciantes e governos – um princípio que é um grande valor dos títulos e confere a eles enorme credibilidade – seguirá sendo um pilar fundamental nessa nova fase.