Conteudo Cabeçalho Rodape

Qual o interesse da Fundação Lemann em gestão de pessoas no setor público?

A Fundação Lemann sempre acreditou que é importante apoiar pessoas para que estejam aptas a resolver grandes desafios sociais do Brasil, tornando o país mais justo e inclusivo. Nesse sentido, percebemos que diversos países que investiram na seleção e desenvolvimento de pessoas no setor público, conseguiram ter um impacto incrível na sociedade. Temos os exemplos de Austrália, Cingapura, Reino Unido. Ao estudar esse assunto percebemos que gestão de pessoas no setor público é um tema prioritário e tinha pouca gente trabalhando com essa frente no Brasil.

Qual o interesse do Jorge Paulo Lemann em gestão de pessoas no setor público?

Jorge Paulo Lemann sempre acreditou que as pessoas são o mais importante de suas organizações. Em sua atuação filantrópica é igual. A Fundação Lemann norteia seu trabalho pela valorização e apoio a pessoas que queiram resolver grandes desafios sociais do Brasil, tornando o país mais justo e inclusivo. E é por isso que apoiamos essa frente. Não ganhamos diretamente nada com isso, mas colaboramos para a construção de um país mais igualitário e justo para todos por meio de serviços públicos de qualidade.

Por que investir em gestão de pessoas no setor público?

O Brasil possui baixa qualidade em diversos serviços públicos essenciais. Qualquer grande mudança só pode ser duradoura e sustentável se a capacidade de entrega do Estado for fortalecida. A presença de líderes e servidores qualificados e preparados para os desafios da carreira pública é essencial nesse processo. A gestão de pessoas é parte estratégica da administração pública. O Estado precisa atrair, selecionar, avaliar e desenvolver as pessoas mais preparadas para enfrentar os desafios do país.

Quem financia a consultoria oferecida aos governos?

Todo o trabalho de gestão de pessoas no setor público é feito através da aliança, um grupo de organizações do terceiro setor formado pela Fundação Brava, Fundação Lemann, Instituto Humanize e Instituto República. Os custos desse trabalho são divididos entre elas que conseguem, assim, oferecer esse serviço gratuitamente. Assim, mantemos nossa premissa de não receber nenhum tipo de aporte financeiro de nenhum governo.

Como são escolhidos esses órgãos/estados/municípios?

A aliança (um grupo de organizações do terceiro setor formado pela Fundação Brava, Fundação Lemann, Instituto Humanize e Instituto República) está aberta a colaborar com todos os orgãos, estados e municípios comprometidos em melhorar os serviços públicos oferecidos à população.

De quem é a palavra final nos projetos de pré-seleção com governos?

Os processos de pré-seleção são exclusivamente para cargos comissionados, ou seja, cargos que não envolvem concursos públicos. E, como já acontecia anteriormente, a palavra final continua sendo do governo. É apresentada uma lista com sugestões de profissionais que se mostraram mais aptos para o cargo e cabe ao governo escolher, ou não, os nomes aprovados.

Veja mais sobre a Fundação Lemann

ver todas as publicações