Conteudo Cabeçalho Rodape

Por que a Fundação Lemann apoia lideranças?

Porque acreditamos que são as pessoas que irão transformar o Brasil. Chamamos de lideranças pessoas engajadas em trabalhar por um país mais justo e com oportunidade para todos. Apoiamos esses profissionais de áreas relevantes, como educação, saúde e gestão pública e os ajudamos a chegar mais longe. Nosso apoio consiste em criar um grande grupo de troca de experiências e oportunidades, oferecer curso e conhecimento para que todos possam desenvolver seus potenciais individuais.

Quem são os membros da Rede de Líderes?

As lideranças são pessoas engajadas em trabalhar por um país mais justo e com oportunidade para todos. Fazem parte dela aqueles que buscam dedicar-se à resolução dos maiores problemas sociais do país em temas como educação, saúde, desenvolvimento econômico e social, meio ambiente, infraestrutura e justiça social. O grupo conta com quase 600 pessoas que, até o final de 2019, eram divididas nos programas: Terceiro Setor Transforma, Talentos da Saúde, Talentos da Educação, Ponte de Talentos, Líderes Públicos e Lemann Fellowship. Em 2020, houve uma reformulação da Rede e seus membros passaram a ser divididos em Grupos de Afinidade.

Os Grupos de Afinidade são divididos por setores de atuação (como “academia/pesquisa”, “educadores em escolas” e “terceiro setor”, por exemplo) e temas de interesse (como “educação”, “justiça social” e “questões LGBTQI+”, entre outros). Com essa nova lógica de organização, alguns dos primeiros Grupos de Afinidade criados são os que derivam dos antigos programas, sendo:

O Ponte de Talentos continuará sendo um programa focado em diversidade e na preparação para o ingresso em universidades americanas. Seus participantes poderão fazer parte de Grupos de Afinidades diversos, de acordo com seu setor de atuação e tema de interesse. Nesse mesmo sentido, os Lemann Fellows – líderes que receberam bolsa de estudos para pós-graduação ou pesquisa em alguma das universidades internacionais parceiras – também passam a participar de outros Grupos de Afinidade por seu setor de atuação e tema de interesse.

Por que a Fundação Lemann tem em sua rede pessoas que foram candidatas a cargos políticos?

Acreditamos que o Brasil será um país mais justo e com oportunidades para todos se tivermos pessoas comprometidas e preparadas trabalhando em diversos setores e também em cargos públicos. Por isso, em 2018, realizamos um programa em parceria com a RAPS para apoiar e desenvolver profissionais engajados nessa transformação e em gerar impacto social positivo. O curso aconteceu antes de cada um se tornar candidato oficial ou do início do período eleitoral. O objetivo era agregar informação a pessoas interessadas no assunto. As pessoas que frequentaram o curso têm trajetórias e visões de mundo diversas, engajadas em temas como educação, saúde, gestão pública e empreendedorismo, filiadas a partidos de espectros políticos amplos, de PCdoB a NOVO passando por Rede, PV e PSB. Dos cerca de 30 candidatos, 7 foram eleitos. São eles: Tabata Amaral (PDT - SP), Vinicius Poit - (Novo - SP), Felipe Rigoni - (PSB - ES), Tiago Mitraud - (Novo - MG), Marina Helou - (REDE - SP), Duarte Jr. (PCdoB - MA), Renan Ferreirinha (PSB - RJ). Saiba mais aqui.

A Fundação Lemann ajudou a eleger os deputados que fazem parte da sua rede?

Não. A Fundação Lemann não se envolve com campanha política. Valorizamos nosso apartidarismo e independência e não apoiamos, nem apoiaremos nenhum partido, coligação ou grupo político, mesmo de membros de nossas redes ou de programas de desenvolvimento.

Mas então qual a relação da Fundação Lemann com estes líderes?

Hoje, 4 deputados federais e 3 estaduais eleitos são Lemann Fellows (ganharam bolsas para estudar em universidades internacionais) ou fizeram parte do programa de Líderes Públicos. Atualmente, são mais de 700 pessoas em nossa rede de líderes, gente que trabalha dentro e fora do setor público, em áreas diversas como educação, saúde, empreendedorismo, entre outras. São pessoas que apoiamos com cursos, encontros e mentoria, para que consigam colocar em prática seu sonho de mudar o Brasil.

A Fundação Lemann interfere nos votos e posicionamentos dos líderes eleitos?

Não. Não estamos envolvidos nos mandatos e nas decisões dos deputados eleitos. Não existe uma agenda de interesses da Fundação Lemann sendo cumprida pelos deputados. Acreditamos no livre pensar e na autonomia de cada indivíduo apoiado.  Alguns desses deputados e deputadas foram eleitos assumindo com seus eleitores compromissos em temas de convergência com os da Fundação Lemann, como a priorização da Educação. Ainda assim, como cada um conduz o assunto no plenário é de responsabilidade e autonomia próprias. Acreditamos na democracia e na importância de ter pluralidade de trajetórias e visões de mundo para discutir o futuro e os desafios do Brasil, que são também diversos e bastante complexos.

Qual o posicionamento político da Fundação Lemann?

Somos apartidários, uma organização independente e livre de interesses privados. Dialogamos com ideias e representantes de todos os governos, sem apoio a ideologias e partidos. Sabemos dos desafios que o Brasil enfrenta e que o momento é de muita polarização. Isso reforça o compromisso com o diálogo e o fortalecimento do campo democrático. Não há atalho e o compromisso com um debate plural e participativo sobre o nosso país é fundamental, uma vez que queremos avançar com oportunidades mais justas para todos.

A Fundação Lemann tem parceria com o RenovaBR?

Nenhuma. Não temos nenhuma parceria com o RenovaBR ou qualquer outro grupo similar.

Veja mais sobre a Fundação Lemann

ver todas as publicações