“Nosso sonho é fazer parte da construção de uma sociedade inclusiva, que garanta a igualdade de direitos e valorize as diferenças humanas.” Assim se define o Instituto Rodrigo Mendes (IRM), organização sem fins lucrativos com a missão de colaborar para que toda pessoa com deficiência tenha uma educação de qualidade na escola comum. 

Entre as atividades do IRM, destaca-se o projeto DIVERSA, apoiado pela Fundação Lemann, que surgiu da percepção de que as redes de ensino já dispunham de interessantes experiências sobre educação inclusiva, o que possibilitava a criação de um portal destinado à construção de conhecimento a partir das práticas das próprias escolas. 

Em 2010, a ideia começou a se transformar em realidade durante um seminário realizado na Universidade de Harvard. Nessa ocasião, foram identificados os primeiros parceiros do projeto e iniciou-se o desenho conceitual e estratégico da iniciativa, posteriormente batizada de DIVERSA.

O IRM começou então uma parceria com o Ministério da Educação (MEC), resultando no lançamento do projeto. Sua finalidade é disponibilizar os conteúdos desenvolvidos pela equipe de pesquisa do instituto e apoiar educadores, gestores de escolas, secretarias de educação e especialistas que se sentem desafiados a incluir pessoas com deficiência nas escolas comuns. 

Contando com diversos parceiros, a plataforma DIVERSA permite também a interação e a troca de experiências entre seus usuários. O projeto marcou uma mudança estratégica do IRM ao colocar a educação pública como foco principal de suas ações, lugar até então ocupado pela arte.

História do IRM

Criado em 1994, o Instituto Rodrigo Mendes, que leva o nome de seu fundador, começou em São Paulo, capital, com o objetivo de oferecer a pessoas com deficiência oportunidades de desenvolvimento por meio da arte. Rodrigo Hübner Mendes, idealizador do projeto, começou a pintar quando tinha 19 anos, logo após ter sofrido um acidente, daí a ideia. 

Com o tempo, o posicionamento da instituição foi evoluindo, passando a ser uma escola aberta a todas as pessoas interessadas em artes, independentemente de suas origens sociais, culturais ou de suas características físicas, intelectuais e sensoriais.

Em 2005, o IRM inaugurou uma nova etapa da sua história. Visando a colaborar para que a rede pública de ensino brasileira fosse capaz de atender alunos com algum tipo de deficiência na sala de aula regular, o instituto desenvolveu o programa PLURAL. Suas primeiras edições tinham como foco a formação continuada sobre educação inclusiva por meio da experiência em artes visuais. Foi a partir dessas experiências que, mais tarde, nasceu o projeto DIVERSA.

Sobre a atuação da sociedade civil nas causas sociais, o administrador Rodrigo Hübner Mendes afirmou em setembro de 2017 durante o XV Gala New York, organizado pela Brazil Foundation: 

“O Brasil está numa fase em que precisa de boas ações, boas notícias e bons exemplos, para que a gente retome um momento de prosperidade e de mudanças positivas, e a sociedade civil tem um papel importante nesse sentido. Eu acho que a filantropia, o investimento social, é um caminho fundamental para que a gente atinja essa nova fase do nosso país e que a gente consiga mudar nossa realidade."

Temas

Educação

Veja mais sobre a Fundação Lemann

ver todas as publicações