Conteudo Cabeçalho Rodape

Com a pandemia e o fechamento de escolas por todo o Brasil, professores e gestores escolares precisaram se reinventar para conseguir levar adiante o processo de alfabetização das crianças mesmo com o ensino remoto. Depois de mais de um ano dessa realidade, a experiência revelou estratégias de sucesso para conseguir envolver crianças e pais em um processo novo, e importante, para todos.

Essas experiências e transformações foram discutidas durante a live "Conecta&Informa - Como promover a alfabetização na pandemia", promovida pela Fundação Lemann em parceria com Instituto Natura e Associação Bem Comum. Este tema é fundamental porque, de acordo com pesquisa encomendada ao Datafolha pela Fundação Lemann, Itaú Social e Imaginable Futures, 69% dos pais e responsáveis dizem que os estudantes dos anos iniciais do Ensino Fundamental terão atraso em seu processo de alfabetização, com prejuízo ao seu aprendizado

#EducaçãoéPotência

A live encerrou a campanha da Fundação Lemann #EducaçãoéPotência, que contou histórias inspiradoras e mobilizou o público a compartilhar experiências de transformação real pela educação.

O evento foi realizado no Dia Mundial da Educação, 28 de abril, e contou com a participação de Mara Mansani, vencedora do Prêmio Educador Nota 10 em 2014; Marcia Ferri, gerente de projetos no Instituto Natura; e Fátima Melo, coordenadora pedagógica da Escola José de Matta e Silva, em Sobral (CE). A moderação foi feita pela professora Lorena Carvalho, dona do perfil @professoracoruja do Instagram. 

“Na pandemia, não tem aquela alfabetização que a gente faz em sala. Falta intervenção do professor, falta interação entre as crianças, entre objetos de conhecimento. Mas nós, professores, podemos criar situações de aprendizagem para as crianças em casa”, explicou Mansani durante a live.

Confira abaixo alguns destaques do papo e, no fim da página, a íntegra do papo online para você assistir:

 

 

(crédito da foto: Joyce Curry)

Veja mais sobre a Fundação Lemann

ver todas as publicações