Conteudo Cabeçalho Rodape

O Vetor Brasil marcou seu nome na história do país ao realizar, em 2016, a primeira seleção pública totalmente aberta e democrática da direção de uma secretaria municipal, no caso, da Secretaria da Educação de Londrina (PR). 

Criado em 2014, o Vetor Brasil é uma organização sem fins lucrativos, suprapartidária, que conta com apoio da Fundação Lemann e atua em parceria com governos estaduais e municipais para atrair e desenvolver profissionais públicos. A entidade foi fundada por dois Lemann Fellows: José Frederico Lyra Netto e Joice Toyota, que atualmente dirige o projeto. 

Na prática, o Vetor Brasil é um grande celeiro de talentos, que busca profissionais, qualifica-os e articula posições para eles na esfera pública do país. O objetivo dessas ações é melhorar a qualidade do serviço público oferecido à população, por meio do desenvolvimento de quadros capazes de causar alto impacto na administração pública.

A organização foi chamada em 2016 pela gestão do prefeito Marcelo Belinati, então recém-eleito em Londrina, para ajudá-lo na seleção da pessoa que chefiaria a Secretaria da Educação do município. 

Belinati destacou o caráter inovador do processo: “primeiro por democratizar a oportunidade a todos os educadores e, segundo, por buscar na meritocracia o principal fator para a escolha”.

A seleção foi então iniciada por meio de uma chamada pública a todos os educadores e gestores do país que cumprissem requisitos mínimos de terem curso superior, experiência na área de gestão da educação e que desejassem estar à frente da área da educação em Londrina, cidade que já contabilizava quase 486 mil habitantes em 2010, segundo dados do IBGE. 

Além de provas e entrevistas propostas pelo Vetor Brasil, a seleção incluiu, a pedido do governo municipal, uma sabatina com membros da rede educacional de Londrina, o que ajudou o processo a ser ainda mais democrático e integrado com os professores e gestores da área.

Ao todo, 129 profissionais se inscreveram na seleção, sendo 70 deles de Londrina. Uma vez selecionados seis nomes, aconteceu a sabatina com os membros da rede e depois uma avaliação por profissionais de renome na educação. A lista final de candidatos passada à prefeitura contava com Dirk Thomas Schwenkow, Matias Gonsales Soares e Maria Tereza Paschoal de Moraes, que foi a escolhida da administração municipal.

Maria Tereza, que é Talento da Educação da Fundação Lemann, possuía um histórico de 12 anos como professora da rede pública e uma trajetória destacada de atuação na gestão da educação no município de Ourinhos (SP), tendo sido, inclusive, secretária da pasta municipal. Sua gestão ajudou o município paulista a passar de 5,3 pontos no Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica) para 6,4 pontos, segundo informações do Vetor Brasil. 

Maria Tereza qualificou as provas de seleção como “muito diferentes e capazes de avaliar a características muito importantes de uma liderança”. Disse ainda que considera seu trabalho como secretária “um desafio enorme, do tamanho de Londrina” e que tem tentado mobilizar as pessoas em torno dos seus desejos pela melhora da educação, que, em seu entendimento, são também “os sonhos de todos os moradores da cidade”.

Confira o vídeo sobre o processo de seleção
Como Londrina inovou na escolha de sua Secretária de Educação?

Temas

Educação Liderança e Impacto Social

Veja mais sobre a Fundação Lemann

ver todas as publicações