Conteudo Cabeçalho Rodape

A divulgação dos dados do IDEB 2019, no dia 14 de setembro, mostrou pouco avanço como um todo na educação básica brasileira, porém confirmou que estamos no caminho certo em nossa jornada de apoio e desenvolvimento de soluções que ajudem nosso país a ser mais justo e avançado por meio do aprendizado.

Só para lembrar, o IDEB é calculado a partir de dois elementos: a taxa de rendimento escolar (aprovação) e as médias de desempenho nos exames de Língua Portuguesa e Matemática. Em outubro devem sair os dados do 2o ano - que nos darão um panorama mais preciso sobre alfabetização no país. O objetivo é levar o Brasil a atingir a mesma média de alunos de países desenvolvidos (OCDE).

Índices acima da média das redes com nosso apoio

Ainda que o índice mostre que há espaço para a educação crescer e continuar avançando no Brasil, ficamos muito animados com alguns dos resultados: o Formar cresce acima da média do Brasil e a maioria das redes do Educar pra Valer não apenas avançou acima da média, como em uma velocidade muito maior, com algumas cidades: crescendo de 2 a 10 vezes mais que o Brasil.

Programa Formar

O IDEB médio das redes que têm parceria com nosso programa Formar cresceu de 5,6 para 5,9 nos anos iniciais e de 4,3 para a 4,6 nos anos finais. O crescimento do programa está 0,2 acima da média nacional para os anos iniciais e 0,1 acima para os anos finais. Antes do programa (2015), a média de IDEB nas redes do Formar era menor do que a média Brasil. Hoje, a média das redes do Formar já ultrapassou/se igualou à média Brasil.  

Através do programa Formar, promovemos e alinhamos esforços entre secretarias de educação e escolas, diminuindo distâncias, apoiando os educadores em seu desenvolvimento profissional e aperfeiçoando as práticas de gestão e os processos pedagógicos.

Programa Educar pra Valer

As redes apoiadas pelo nosso programa Educar pra Valer tiveram, em média, um salto de quase 0,5 ponto no IDEB dos anos iniciais, acima do crescimento médio de 0,3 das redes municipais brasileiras. Em relação aos anos finais, as redes do programa também cresceram 2x mais do que a média nacional, ultrapassando o IDEB médio do país.

O Educar pra Valer é um programa da Associação Bem Comum, apoiado pela Fundação Lemann, que surgiu em 2018. A ideia é oferecer boas práticas de gestão pública com apoio técnico, ajudando secretarias de educação e suas escolas no avanço da aprendizagem.

Avanço lento no recorte nacional

Nos últimos anos, o Brasil tem registrado avanços em câmera lenta na educação no quadro geral. Nos anos iniciais do ensino fundamental na rede pública, fomos do índice 5,5 para 5,7. Nos anos finais, de 4,7 para 4,9. 

A surpresa veio do ensino médio público, estagnado há muitas edições, em que crescemos de 3,5 para 3,9. A distância entre os resultados das escolas privadas e públicas também tem sido reduzida, lentamente, mas de forma consistente.

"A crise atual não nos permite outra postura senão encará-los e recomeçar, melhor. Os números do Ideb iluminam experiências que podem ajudar nisso. Há muito a aprender, por exemplo, com o regime de colaboração em alfabetização implementado de forma pioneira no Ceará, o Programa de Ensino Médio de Tempo Integral de Pernambuco, entre outras iniciativas. Nesta edição, estados como Alagoas e Piauí se destacaram. Sistematizar os aprendizados destas experiências e disseminá-los é um dos melhores usos que podemos fazer dos dados", escreveram nossos diretores Camila Pereira e Daniel De Bonis em artigo no jornal Folha de S.Paulo.

Temas

Educação

Veja mais sobre a Fundação Lemann

ver todas as publicações